terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

DIA DO FOLCLORE

Tudo é folclore, Sinhô!
Tudo é folclore, Sinhá!
Desde o chimarrão dos pampas,
às comidas do Pará.

O quindim, a paçoca, o acarajé;
a macaxeira, o cuscus, o vatapá;
doce-de-coco, goiabada e até
pé-de-moleque e tucupi no tacacá.

Tudo é folclore, Sinhô!
Tudo é folclore, Sinhá!
Desde o batuque das selvas,
ao bumba-meu-boi-bumbá.

Rode a ciranda, dance o samba e o baião;
pule no frevo, bata o pé: cateretê;
todas as danças que alegram esta nação,
entre na roda, quero dançar com você.

Tudo é folclore, Sinhô!
Tudo é folclore, Sinhá!
Desde o mito da Uiara,
às lendas do boi-tatá.

O caipora, o negrinho do pastoreio;
o lobisomem, o tajá, o bicho-papão;
até o saci-pererê, que é muito feio:
melhor fugir do que ficar na escuridão!

Nenhum comentário:

Postar um comentário